Minhas Obras

Confira Meus Livros

Entrelinhas 2 - Histórias Fantásticas

Minhas Obras / Publicadas

Entrelinhas foram meus primeiros trabalhos publicados. Na época o Filho da Queda ainda era um embrião e Maudsley nem sonhava em existir! Entrelinhas era uma antologia de Crônicas e Contos sua publicação ocorreu no ano de 2012. Histórias Fantásticas foi uma homenagem a meus dois maiores heróis... Caso deseje adquirir uma cópia entre em contato no email. Abaixo você confere o conto completo. Boa Leitura.


Saiba Mais

As Crônicas de Aip Ion: Maudsley

Minhas Obras / Publicadas

Num futuro distante, onde a água é tóxica e letal, a Quarta Guerra assola a região do Pântano, um dos últimos assentamentos humanos, agora que as cidades são dominadas pelos infectados invunches, seres humanos grotescamente deformados e enlouquecidos contaminados pela praga que devastou a humanidade. No seu novo romance, T.C.Oaks apresenta o relato da família Maudsley, em um mundo violento, implacável e sem esperanças, onde todos lutam por seus próprios interesses. Com sua prosa frenética e cheia de ação, o autor nos mergulha em uma...


Saiba Mais

Vampiro - Um Livro Colaborativo. - O Despertar

Minhas Obras / Publicadas

Dizem que há paz e serenidade na morte, que a transição é tranquila e suave... Porém, são os vivos que o dizem! Para ela, a morte era um sofrimento infinito...


Saiba Mais

Narrativas do Imaginário Noturno - Monte Azul

Minhas Obras / Publicadas

"Os contos a seguir foram escritos ao longo do curso “Narrativas de Horror: da Teoria à Prática”, ministrado entre julho e agosto de 2016. No entanto, é provável que as ideias que lhes deram origem já existissem nos porões mentais de seus autores. É provável que seguissem lá no fundo, entre memórias abandonadas e medos empoeirados -- à espreita e ameaçadoras." Dessa maneira meu mentor e mestre Oscar Nestarez explicou um pouco do surgimento desse livro. Tive a grata experiência de conhecer...


Saiba Mais

Antologia Sombria - A Carta

Minhas Obras / Publicadas

Quando eu era pequeno, morava a duas quadras do cemitério da Vila Alpina, aqui em São Paulo. Costumava jogar bola com meus amigos na praça em frente a necrópole. O nosso maior desafio era o momento em que a bola fosse chutada até lá. Revezávamos quem ia buscá-la. Numa dessas vezes, eu tive que ir. O final de tarde já começava a se tornar sombrio e assustador. Lembro-me claramente que tentava pegar a bola, mas, a maldita parecia ter vida própria...


Saiba Mais